Processo de Seleção

O Comitê de Seleção da Mostra verifica, em primeiro lugar, se os projetos estão completos e adequados às normas da MOP 2013, se não houve plágio e quais projetos precisam ser encaminhados ao Comitê de Revisão Científica. Este Comitê garante que os projetos participantes da Mostra estejam de acordo com as legislações de segurança na condução de pesquisas científicas brasileiras e internacionais.

O Comitê de Seleção da MOP é formado por mestres e doutores da USP e de universidades parceiras. Tanto para projetos individuais quanto em grupo, serão avaliados os seguintes itens:

  1. Criatividade e Inovação
    O avaliador observará se o projeto sustenta uma investigação e propõe respostas originais ao problema formulado. A criatividade pode estar presente na formulação do problema, no método adotado, comprovadamente eficiente e confiável, ou na análise e interpretação dos dados.
  2. Método Científico ou de Engenharia
    No caso de pesquisas científicas nas áreas de Ciências, será avaliado se o problema foi formulado de forma clara e sem ambigüidade, estando delimitado o suficiente para conduzir a uma solução possível. Hipóteses bem definidas, planejamento e indicações para estudos futuros também contam pontos positivos na avaliação. Será avaliada também a menção a pesquisas similares e a ligação do projeto com as mesmas, além da utilização de fontes bibliográficas de caráter científico. Por fim, o avaliador questionará se o projeto identifica e define de forma adequada as variáveis, se os autores levantaram dados suficientes para sustentar suas conclusões e reconhecem suas limitações.
    No caso de pesquisas nas áreas de engenharia, será avaliada a clareza do objetivo do projeto e sua relevância para o usuário final. Além disso, os avaliadores verificarão se a solução apresentada funciona, se é economicamente viável e se pode ser utilizada na produção de um produto final. Por fim, será verificado se esta solução foi testada em ambientes reais de utilização e se é melhor do que outras soluções para o mesmo problema.
  3. Profundidade da Pesquisa
    Neste critério, os avaliadores levarão em conta o grau de resolução do problema, isto é, se a solução proposta no projeto o resolve desde sua raiz ou aborda apenas seus desdobramentos. Além disso, será verificado se o objetivo proposto no Plano de Pesquisa foi conquistado, e da forma como foi planejado, se as anotações estão completas e se as conclusões baseiam-se em um único experimento ou vários. Por fim, será avaliado o conhecimento dos estudantes acerca de outras soluções ou teorias, bem como de publicações científicas a respeito do tema do projeto.
  4. Clareza
    Neste critério, os avaliadores observarão a clareza na apresentação do projeto, seus objetivos e procedimentos utilizados, das conclusões, resultados e dados obtidos. Por fim, será levado em conta se o material escrito reflete o conhecimento do estudante sobre a pesquisa, se as fases do projeto foram apresentadas de modo organizado e se o estudante contou com ajuda externa à equipe para executar a apresentação do projeto.
  5. Habilidades de Análise e de Investigação
    Neste critério, será verificado se os estudantes estão qualificados para utilizar os equipamentos, laboratórios e sistema computacional para coletar os dados necessários à pesquisa, e o local de execução do projeto – se residência, escola, laboratório ou outro. A autonomia do estudante na execução do projeto conta pontos a seu favor, e para avaliar isto serão levados em conta eventuais auxílios e supervisões ao estudante, sejam eles prestados por pais, professores, cientistas, engenheiros ou outros profissionais. Também serão analisadas as habilidades de análise e de investigação dos estudantes. Por fim, será avaliado o equipamento utilizado no projeto, observando-se sua origem - se foi construído pelo próprio estudante, emprestado, adquirido ou alugado, e se esteve no local de trabalho do estudante durante o desenvolvimento da pesquisa.